Marllus
Marllus Analista de TI, mestre em políticas públicas, professor, artista digital e aspirante a tudo que lhe der na telha.

Um poema temporal

Um poema temporal
Photo by Jonny Gios

Nesta noite, noite nua
Espero trufas sertanejas
Mas não lamúrias
De algo que já foi.

Espero dizeres, piados calados
Vozes perdidas
Disso e daquilo
De quem não pode
falar, ou cantar.

Eu vou, com meu amigo
Na onda da hora
Que não existe
Do momento incerto
Mas cristão.

Juro, faço isso, por menor
Que seja a tristeza
Para tirar deste minuto
O algo de bom que quero
Jurando perdões.

A morte é rápida
Flácida, de pescoço calado
Memórias perdidas
De partes de vidas
Repartidas.

Enquanto a carne rasga
De mim, dele e daquele
Pareço perder o meu chão
De barro, lamparina e sertão.

É tudo ilusão?